domingo, 16 de setembro de 2018

Nazareth - Novo álbum sai em Outubro

00:43

Previsto para sair no dia 12 de outubro, "Tattooed On My Brain" será o 24º álbum da banda e primeiro trabalho a contar com o novo vocalista, Carl Sentance, que entrou no lugar do lendário Dan McCafferty, e conta com as seguintes músicas:

"Never Dance With The Devil"
"Tattooed On My Brain"
"State Of Emergency"
"Rubik's Romance"
"Pole To Pole"
"Push"
"The Secret Is Out"
"Don't Throw Your Love Away"
"Crazy Molly"
"Silent Symphony"
"What Goes Around"
"Change"
"You Call Me"

Confira um pouco do novo trabalho:

 

Fonte: Wiplash

Confira o novo trabalho da banda Rock Factory Project

00:35


A banda ROCK FACTORY PROJECT disponibilizou recentemente o lyric vídeo da faixa título do seu novo trabalho, o EP “The Weight Of The Pen”.

O referido trabalho áudio visual é o primeiro de uma trilogia de vídeos, que serve como suporte para o lançamento mundial de “The Weight Of The Pen”.

Track List:

01. The Weight Of The Pen
02. Scary Derry
03. Frevo Mulher
04. From Dusk To Dawn
05. Shadows Unseen (Radio Edit)
06. When Ghosts Cry

“The Weight Of The Pen” será lançado pela MS Metal Records neste mês setembro de 2018, no seu formato físico, e também estará disponível em mais de cem plataformas online, através de distribuição conduzida pela CD-Baby.



Fonte: Eduardo Macedo

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Trampa - banda comemora 10 anos do Trampa Sinfônica no Cine Brasília

22:11

No dia 11 de setembro, o Trampa se apresenta com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional no Cine Brasília.

Apesar do álbum sinfônico em estúdio ser inédito, o grupo já utilizou orquestra quando gravou o DVD “Trampa Sinfônica” em 2007 e lotou a sala Villa-Lobos no Teatro Nacional de Brasília. Na época, o grupo contou com a parceria do maestro Silvio Barbato, falecido em 2009. A ideia do disco também é uma forma de homenagear o Maestro que era um dos grandes incentivadores da banda.

A apresentação acontece no Cine Brasília com entrada franca. Sujeito a lotação.




Fonte: Facebook/Banda

Ferrock 33 anos - Confira as prévias comemorativas e se divirta!

21:56

O Ferrock Calendário Cultural 2018 movimenta a cidade de Ceilândia, nos dias 07 e 08 de setembro, com as "Prévias Ferrock 33 anos", uma fusão de estilos musicais e atividades artísticas e culturais direcionadas a diferentes públicos, característica marcante do Festival. 

A prévia tem como objetivo abrir caminho para a 33.ᵃ edição do Ferrock Festival, valorizando e divulgando artistas, bandas e grupos locais. Na programação: oficinas, apresentações de cultura regional, teatro de bonecos, brincadeiras e jogos infantis e muito rock. Toda a programação é gratuita.

Um dos mais antigos festivais de rock do Brasil, o Ferrock Festival reúne, em um mesmo palco, o rock local e nacional e a cultura popular e tradicional. Entre as novidades dessa 33.ª edição, o Ferrock Festival traz um calendário cultural com quatro etapas: o Ferrock Arte nas Escolas, realizado entre os dias 21 a 23 de agosto e 28 de novembro, a Prévias Ferrock 33 anos, realizado nos dias 07 e 08 de setembro, o Ferrock Rua de Arte e Lazer – Galera do P Norte e amig@s!, também em setembro, mas no dia 16, e o Ferrock Festival 33 anos – O encontro do Rock com a Cultura Popular, encerrando última etapa no dia 08 de dezembro. 

O Ferrock Festival é uma mistura de música, lazer, consciência socioambiental e combate a violência, criado por jovens ceilandenses, amantes do rock n’roll, vindos de movimentos estudantis, associações de moradores e igrejas, o festival. Assim, o Centro Cultural Ferrock se faz referência quando se fala em ações culturais voltadas ao desenvolvimento social na Ceilândia.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

- DIA 07 DE SETEMBRO
Grupo de Carimbó - Cultura Regional
Banda de Rock - Banda Atacama (DF)
Banda de Rock - Black Rainbow Black Sabbath Tribute (DF)
Banda de Rock - Celebration
Banda de Rock - Fluido Acústico
Banda de Rock - Tumbalacatumba
Grupo Curumim Cultural e o Baú da Alegria
Oficina de Pássaros do Cerrado em Argila
Oficina de Tranças e Penteados Afro
Oficina de Automaquiagem

- DIA 08 DE SETEMBRO
Grupo de Quadrilha Êta Lasquêra- Cultura Regional
Banda de Rock - Ligação Direta-Rock&Blues (DF)
Banda de Rock - Geriatric Blues Band (DF)
Banda de Rock - Casa Vermelha Banda (DF)
Banda de Rock - Big Balls
Grupo de Teatro de Bonecos - Mamulengo Fuzuê
Grupo Curumim Cultural e o Baú da Alegria
Artecei Produções Artísticas e Culturais - Oficina de Brinquedos Populares

Serviço:
Prévias Ferrock 33 anos
Data: 07 e 08 de setembro, das 9h às 22h
Local: QNP 13, Área Especial, Setor P Norte, Ceilândia
Entrada franca

Fonte: Facebook/Ferrock

Evidenciando discurso político e social, Maciel Salú lança seu quinto disco solo

08:11

O compositor, cantor e rabequeiro Maciel Salú acaba de divulgar "Liberdade", seu quinto álbum solo. Composto por 10 faixas autorais, todas produzidas por  Hugo Linns, trabalho discursa sobre temas políticos e sociais.

Apoiado pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura PE), projeto é uma construção da maturidade, profissionalismo e visão de mundo do artista, promovendo um passeio sonoro sobre temas nada fáceis, mas atuais e relevantes. “Liberdade, com respeito e responsabilidade, é algo que deve ser direito de todo o ser humano. É isso que trago neste disco. Liberdade de falar o que é preciso, de gravar o que eu quero, do jeito que eu acho necessário, sem ninguém para impor limites. É um valor que deveria pertencer à vida de todos”, ressalta.

Já na abertura, “Labirinto” extrai poesia da violência espalhada pelo mundo. “Por causa da minha carreira, já viajei para muitos lugares e pude conhecer as mais diversas realidades, tanto aqui no Brasil, como no Senegal, Estados Unidos e em alguns países da Europa. Então, trago essa vivência da estrada e do que chega até a gente por meio das notícias e dos livros. Na música, digo para cruzarmos as fronteiras... Isso também é em relação ao desequilíbrio social, ao sofrimento, aos conflitos raciais, guerras e bombardeios. É deixar tudo isso para trás”.

Na sequência, a faixa-título "Liberdade" inspira-se no líder Nelson Mandela e, principalmente, em como ele, mesmo em meio a tanta injustiça, defendeu o respeito e priorizou o amor. Com influências do rock e pop, canção foi gravada com bateria, guitarra, baixo e rabeca. Essa última, vem crua e sem efeitos, mas bastante marcada. Para dar um peso extra na sonoridade, alfaia, gonguê e caracaxá.

Em “Flor de Gardênia”, Maciel Salú canta, com ternura, para sua esposa.

A regravação de “Machadeiro” relembra os tempos em que integrava a banda Chão e Chinelo.

Os versos  "o farol iluminou, deu um claridão no mar, de longe avistei a sereia e vi mamãe Iemanjá" abrem caminhos para “Mãe do Mar”, com a participação especial de Juçara Marçal.

“Jurema” surge logo depois, reverenciando a entidade indígena que impulsiona uma das maiores tradições religiosas do nordeste.

“Luiza” explora o lado mais leve do disco e homenageia a neta mais velha do cantor.

Incorporando poesia à música, "Realidade" conta com a colaboração de José Paes de Lira, mais conhecido como Lirinha. A letra, que exalta líderes negros como Bob Marley e Zumbi dos Palmares, alerta: "quem não conhece o passado, não sabe andar no presente".

Em “Maracatu Sem Lei”, Maciel Salú revisita o ano de 2014. Na época, as sambadas de maracatu foram proibidas de acontecer até o dia raiar e foi preciso buscar o Ministério Público para reverter a situação.

Fechando o disco, o frevo “Chegou Pereira” celebra, com muita alegria e entusiamo, as festas de carnaval.


SOBRE MACIEL SALÚ:

Pernambucano, nascido em Olinda, Maciel Salú é cantor, compositor, rabequeiro, mestre e brincante de diversos folguedos. Herdeiro da Família Salustiano, uma das mais expressivas na cultura popular brasileira, convive desde criança em meio aos maracatus, cavalos marinhos, cocos e cirandas.

Na década de 90, durante o auge do manguebeat, integrou a banda Chão e Chinelo.  Nessa época, começou a experimentar as diversas fusões de seu trabalho com os ritmos contemporâneos. Essas tentativas ganharam ainda mais força,  em 2002, quando uniu seu repertório popular com a música eletrônica em DJ Dolores & Orchestra Santa Massa. No grupo, ganhou prêmios como o BBC Awards, Tim e  Multicultural Estadão, além de, em 2016, apresentar-se na Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas, no Rio de Janeiro.

Em 2003, Maciel Salú iniciou carreira solo e realizou, desde então, importantes parcerias. Entre elas, com Chico César, Jorge Du Peixe, Siba, Jam da Silva, Isaar, Carmélia Alves e Luiz Paixão.

Com 20 anos de carreira, o artista também participa da Orquestra Contemporânea de Olinda, indicada ao Prêmio da Música Brasileira (2009) e ao Grammy Latino (2010). 

Atualmente, trabalha o lançamento de seu quinto álbum, "Liberdade".

DISCOGRAFIA:

Liberdade | 2018
Baile de Rabeca | 2016
Box com os discos A pisada é Assim, Na Luz do Carbureto e Mundo | 2015
Mundo | 2010
Na Luz do Carbureto | 2007
A Pisada é Assim | 2003

Fonte: Assessoria Bianco

FOLLOW @ rockdf.insta

Rock DF

No ar desde 2007! É rock, é música é cultura!

Edição

Espaço em edição

Edição

Espaço em edição